São Luís

Prefeito entrega bibliotecas móveis e incentiva leitura em escolas municipais

Espaços são usados por estudantes que, incentivados pela gestão do prefeito Edivaldo, podem enriquecer e aprimorar seus conhecimentos por meio do acervo físico e digital disponibilizados nas bibliotecas.

Prefeito Edivaldo entrega bibliotecas móveis e incentiva leitura em escolas municipaisCompreendendo a importância da leitura no processo de ensino-aprendizagem, o prefeito Edivaldo tem investido na revitalização e na implantação de bibliotecas nas escolas da rede municipal. Por meio desse trabalho, a gestão reforça o compromisso com a qualificação do ensino e a ampliação do acesso à leitura aos estudantes. A ação integra as políticas públicas voltadas ao setor e implementadas na gestão do prefeito Edivaldo que, por meio do programa Educar Mais, tem investido na requalificação de prédios escolares bem como na reestruturação da rede de ensino como um todo e na qualificação de professores. A entrega das bibliotecas faz parte de uma série de ações executadas pela Prefeitura dentro da programação de aniversário dos 406 anos de São Luí s.

“Desde o início da nossa gestão, temos a educação como prioridade. A cada passo dado, observamos os avanços que já foram alcançados até aqui, tanto em relação às melhorias na infraestrutura das unidades quanto nos investimentos realizados para a qualificação do ensino. É através de ações como essa, com a entrega de bibliotecas às escolas, que estamos transformando positivamente o dia a dia das crianças no ambiente escolar, tornando-o ainda mais propício à aprendizagem”, destaca o prefeito Edivaldo acrescentado que como resultado dos investimentos realizados pela Prefeitura na Rede de Ensino Municipal, a gestão já contabiliza cerca de 150 escolas requalificada e mais de 800 salas de aula climatizadas. “A nossa meta e requalificar toda a rede”, reforçou o prefeito.

A implantação das bibliotecas integra as ações do plano de revitalização das bibliotecas escolares e cantinhos da leitura, atendendo à Lei Nacional 12.244 de 2010, que dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas escolas até 2020. Duas das oito bibliotecas móveis já foram entregues nesta primeira etapa e estão localizadas na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) José Assub, no bairro Santa Cruz; e na U.E.B. Mariana Pavão, no Rio Anil. Serão contempladas ainda com as bibliotecas as U.E.Bs. Oliveira Roma; José Cupertino; Rosário Nina; Mário Pereira; Zuleide Andrade e Haidê Chaves.

O acervo bibliográfico de cada biblioteca é composto por 1.500 obras físicas e 1.500 obras digitais, entre elas, literatura maranhense e brasileira, literatura infantil e juvenil, obras de referência (enciclopédias, dicionários, guias, atlas, mapas), documentários e palestras. A biblioteca móvel conta também com um mural para informações, quatro computadores de mesa, 20 tabletes, uma televisão digital e uma impressora a jato de tinta colorida. O acervo de obras de autores maranhenses conta com o apoio da Academia Maranhense de Letras.

O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, enfatiza que a leitura aprimora o aprendizado, considerando que, por meio da leitura, as crianças desenvolvem a comunicação com as pessoas ao seu redor, fundamental para o seu desenvolvimento enquanto seres humanos. “Temos como meta a universalização da leitura que é importante para o desenvolvimento e acesso dos estudantes à cultura, difusão do conhecimento e na democratização do saber”, pontuou o titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

As bibliotecas que estão sendo entregues apresentam uma economia de 80% em relação à implantação de uma biblioteca convencional, considerando que o espaço móvel é autônomo e dispensa a construção civil. Além de livros físicos, os espaços contam com um acervo de obras digitais, permitindo a interação das crianças com a tecnologia e ampliando o acesso digital nas escolas da rede municipal de ensino.

APRENDIZADO

A U.E.B. José Assub, no bairro Santa Cruz, foi a primeira escola a receber a biblioteca. A gestora da unidade, Tatiana Reis Martins, destaca que a biblioteca móvel é mais um dos instrumentos disponibilizados pela escola que permitem aperfeiçoar o aprendizado dos estudantes. “Será essencial para subsidiar o conhecimento dos estudantes e professores que também estão sendo contemplados com acervos para pesquisa. Estamos muito felizes com esse projeto maravilhoso e riquíssimo. Toda criança tem que criar o gosto pela leitura desde pequena e levar isso para o resto da vida. Não é difícil. Temos que despertar nessas crianças a curiosidade que é alimentada com um livro”, disse.

Além das tradicionais obras literárias infantis, o acervo da biblioteca contempla os mais diversos assuntos e oferece aos alunos informações sobre a cultura maranhense, história, geografia, biologia, literatura, entre outros. Os temas diversificados atraem os alunos, que veem no espaço a possibilidade de aprender ainda mais, para além do espaço da sala de aula.

O pequeno Carlos Adriano Costa, 8 anos, contou que apesar das possibilidades tecnológicas como computadores e tablets ainda prefere a leitura através dos livros. “Eu gosto muito desse lugar. Acho legal por que antes a gente não tinha um espaço assim. Eu gosto de ler sobre história principalmente e saber das coisas que aconteceram antigamente”, disse o estudante da U.E.B. José Assub.

A implantação da biblioteca na escola foi uma solicitação dos próprios alunos. Além de terem acesso na própria escola, os estudantes podem levar emprestado os livros para casa, possibilitando que os pais e familiares também tenham acesso à biblioteca e participem desse processo de formação ao lado dos filhos. “Aqui na escola gosto de mexer no computador, mas na minha casa gosto muito de ler as histórias junto com a minha família”, conta Ágatha Reis, de 8 anos.

A professora Daniele Caetano, reforça que o ato de levar os livros para casa é uma forma de compartilhar o conhecimento com a família, além de permitir a socialização da experiência com os colegas na turma. “Se uma criança voluntariamente tem o hábito de ler, isso tem toda a tendência de se propagar para a família”, disse a educadora.

A biblioteca favorece também a inclusão digital. Sofia Santos Araújo e Carlos Adriano Gonçalves Costa, ambos com 8 anos, adoraram a leitura digital. “Não tenho computador em casa, ainda, vou ter que aprender a usar, mas já estou adorando a ideia de ler na tela do computador”, disse Sofia. O garoto, Carlos Adriano, rápido conseguiu interagir com o tablet. “Muito massa, vou me divertir muito”, disse o menino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Para comentar através do Facebook é preciso estar logado. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.