×

Publicidade

Câmara SL

Nossa Senhora de Fátima Peregrina na casa do vereador Astro de Ogum

O final da tarde desta quinta-feira (12), estabeleceu um misto de emoção e louvor na residência do presidente da Câmara Municipal de São Luis, Astro de Ogum, por conta da visita da imagem de Nossa Senhora de Fátima, a santa peregrina, oriunda de Portugal e que em São Luis está sendo guarnecida na Igreja do Carmo.
Visivelmente emocionado e sem conter as lágrimas, Astro afirmou que aquele estava sendo um dos momentos mais marcantes da sua vida, ao receber, em sua casa, a imagem da personagem mais reverenciada no mundo depois de Jesus Cristo.
“Não há sincretismo em relação a Nossa Senhora de Fátima com os orixás. Todas as Nossas Senhoras, com as suas mais diversificadas denominações, representam   Maria, a mãe de Jesus. E essa peregrinação aqui, mostra mais uma vez que somos um país laico, embora ainda ocorra muitos casos de intolerância religiosa, principalmente com relação à umbanda, destacou o vereador, que é presidente da Federação de Umbanda do Maranhão.
Durante o longo tempo em que a santa permaneceu no pátio da residência do vereador, com católicos e umbandistas entoando cânticos de louvor, foram registrados momentos emocionantes por parte de integrantes das duas religiões, que não se contiveram e foram às lágrimas.
Integrante do grupo carismático da Igreja Católica e notabilizado pela sua religiosidade, o ex-vereador José Joaquim, assessor da Câmara Municipal de São Luis e que já esteve no santuário de Fátima, em Portugal, falou a respeito da santa.
Ele afirmou que, no dia 13 de maio de 1917, três crianças, Lúcia dos Santos (10 anos), Francisco Marto (9 anos) e Jacinta Marto (7 anos), afirmaram terem visto “…uma senhora mais brilhante do que o Sol” sobre uma azinheira de um metro ou pouco mais de altura, quando apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, próximo da aldeia de Aljustrel.
Lúcia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco apenas via-a, mas não a ouvia.
A aparição da Virgem Maria repetiu-se nos cinco meses seguintes e foi portadora de uma importante mensagem ao mundo. A 13 de outubro de 1917, a aparição apresentou-se-lhes como sendo “a Senhora do Rosário”.
Estas aparições foram precedidas e seguidas por outros fenômenos, acontecimentos que foram relatados e redigidos pela vidente Lúcia a partir de 1935, em quatro manuscritos conhecidos por Memórias I, II, III e IV.
O ex-vereador relata que se emocionou muito durante a visita que fez ao santuário da Santa em Portugal e acrescentou que a peregrinação  da imagem de Nossa Senhora à residência do vereador Astro de Ogum é um momento marcante tanto para a Igreja Católica como para a umbanda e realça a questão da religiosidade no Brasil, um país  que se caracteriza por permitir o culto a todas as religiões, um país laico na verdadeira acepção da palavra.  (DR)

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.