×

Publicidade

Política Nacional

Para Mourão, interferência do governo no preço do diesel foi ‘fato isolado’

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira (12) que a interferência do governo no preço do diesel da Petrobras foi um “fato isolado”. Ele também afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não vai retomar a prática constante na gestão Dilma Rousseff de controlar os preços da estatal. Com a declaração, Mourão se alinha na tentativa do Palácio do Planalto de evitar que a medida desgaste a credibilidade da política econômica.

Nesta quinta-feira (11), Bolsonaro determinou que a Petrobras revisasse um aumento já anunciado pela empresa do diesel nas refinarias. O fantasma da greve dos caminhoneiros foi determinante para a decisão do presidente.

No entanto, se por um lado Bolsonaro evitou uma paralisação que poderia enfraquecer o governo, como a de 2018 fez com a gestão Michel Temer, por outro reviveu o trauma de ações intervencionistas na estatal, que se chocam com a política liberal do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Continua após a Publicidade

Em entrevista à rádio CBN, Mourão disse que Bolsonaro busca uma maneira de “equacionar o problema” e tomou a decisão visando um “bem maior”.

“Julgo que é um fato isolado, justamente pelo momento que estamos vivendo. Acredito que o presidente está buscando a melhor solução para equacionar o problema”, afirmou o vice-presidente.

“Tenho absoluta certeza que ele não vai praticar a mesma política da Dilma no tocante a preços de combustível e energia”, completou.

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.