Notas do Udes Filho

Em duas notas: polêmica na Câmara de Rosário

COLUNA NOTAS DO UDES

Votos caros e antecipação da eleição

O município de Rosário está vivendo momento diferenciado na Câmara Municipal. É que alguns vereadores estão tramando uma conspiração contra o povo e contra a Prefeitura. Ainda em março, os vereadores já decidiram votar a mesa diretora para o biênio 2019/2020. Os interesses e negociações de bastidores seguem à todo o vapor.

Há quem diga que os votos antecipados não sairão baratos… Depois, este colunista vai contar melhor…

A família Marinho e o Caso Coopmar

Quatro parentes do vereador de Rosário, Sandro Mauro Dias Marinho (PDT), supostamente foram alvos da Operação Cooperare, deflagrada em dezembro de 2016, pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com apoio da Controladoria Geral da União (CGU) e a Polícia Civil do Maranhão.  O golpe custou aos cofres públicos R$ 230 milhões de dezessete prefeituras maranhenses. A Coluna Notas do Udes Filho e o portal O Quarto Poder já começaram as investigações sobre o envolvimento da família Marinho no caso.

O esquema só veio à tona após o Ministério Público do Maranhão, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar, detectar irregularidades na contratação da Cooperativa Maranhense de Trabalho e Prestação de Serviços (Coopmar) pela Prefeitura de Paço do Lumiar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Para comentar através do Facebook é preciso estar logado. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.