×

Publicidade

Geral

Corpo de Samuel Thomas, morto no CT do Flamengo, é enterrado em São João de Meriti, no RJ

Lateral-direito das categorias de base do rubro-negro é uma das vítimas do incêndio em alojamento do centro de treinamento do clube.

O corpo de Samuel Thomas de Souza Rosa, morto aos 15 anos no incêndio que atingiu o CT Ninho do Urubu, foi enterrado na tarde desta segunda-feira (11).

A cerimônia aconteceu no Cemitério de Vila Rosali, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O corpo chegou ao local por volta de 13h55 e o sepultamento está previsto para 16h.

A mãe de Samuel foi trazida de ambulância até o cemitério. Ela chegou praticamente desmaiada. Meia hora depois, desmaiou e foi novamente carregada até a ambulância, antes do enterro.

Continua após a Publicidade

Parentes e amigos prestam homenagens, vários deles vestindo a camisa do clube. Alguns torcedores cantaram o nome de Samiel e de outras vítimas do enterro. O Flamengo e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) enviaram coroas de flores manifestando luto.

A porta da capela foi fechada em respeito aos familiares. Dezenas de pessoas ficaram do lado de fora para se despedir do jovem jogador, se aglomerando num salão comum que dá para outras sete capelas.

“A mente dele era só ajudar a família. Estamos perdendo muitos jovens, ele era um menino muito bom e vim dar um abraço na família”, diz Carla Caetano Pereira, vizinha e amiga do jogador.

Tio fala de falta de suporte psicológico

Sebastião de Souza é tio do jovem. Ele diz que os parentes estão muito abalados. Outro tio, segundo ele, ainda espera a chegada do garoto em casa.

“Minha irmã (mãe da vítima) e meu irmão passaram mal. O compromissos que a diretoria tem é de dar um suporte e ate agora não ajudou. O Flamengo se disponibilizou a fazer o enterro, mas suporte psicólogo e tratamento ainda não mandaram”.

O clube, relata, ofereceu uma psicóloga na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Mas a família não tem condições financeiras de ir e voltar do local.

Outro tio de Samuel, Severino Santana, acredita que detalhes na estrutura do contêiner poderiam salvar a vida do sobrinho. Ele diz, entretanto, que não tem críticas ao Flamengo.

“A única coisa que tinha que acontecer era, onde eles estavam dormindo, ter uma porta de emergência. Não tenho nada contra o Flamengo, nem o que criticar do Flamengo. Mas tinha que ter uma porta de emergência. A dor que a gente está sentindo é muito grande”.

O Flamengo ainda não se pronunciou para comentar as declarações, mas, em nota oficial, declarou neste domingo que “vem prestando todo amparo às famílias dos atletas vitimados pela tragédia ocorrida no Centro de Treinamento, assim como aos feridos e sobreviventes”. Em outro trecho da nota, o clube diz: “Estamos empenhados prioritariamente, em amparar as famílias de forma material, moral e psicológica”.

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, falou nesta segunda após reunião no MP que psicólogos e assistentes estão sendo disponibilizados para parentes:

“Colocamos uma série de psicólogos e assistentes sociais para essas famílias. Não poupamos esforços para indenizar essas famílias o mais rápido possível, o objetivo do clube é buscar junto à Defensoria acelerar isso. Da melhor e da forma mais rápida. Às vezes, os processos judiciais demoram muito tempo. Também passamos a preocupação que temos uma série de rapazes que tem a vida voltada para aquele centro de treinamento”.

Lateral-direito, Samuel por pouco não escapou da tragédia. Ele preferiu dormir no Centro de Treinamento do Flamengo para voltar à Baixada Fluminense, onde vivia, no dia seguinte.

Os sobreviventes relataram ao Fantástico que havia uma “gambiarra” em aparelho de ar condicionado, que pode ter causado as chamas. O monitor que cuidava dos meninos diz que ouviu explosão e que já encontrou o contêiner pegando fogo.

Informação divulgada no RJ1 informou que a planta do Centro de Treinamento Presidente George Helal enviada pelo Flamengo à Prefeitura do Rio não previa alojamento onde 10 atletas morreram durante o incêndio.

Na manhã desta segunda, corpos de duas vítimas do incêndio foram enterradas. Athila Paixão foi sepultado no município de Lagarto, em Sergipe, e Gedson Beltrão foi enterrado em Itararé, no interior de São Paulo.

Além de Samuel Thomas, também deve ser enterrado o corpo de Rykelmo de Souza Viana em Limeira, em São Paulo. O corpo de Jorge Eduardo Santos será levado para Além Paraíba, na Zona da Mata de Minas Gerais.

Os dez garotos mortos no incêndio do CT do Flamengo

Os dez garotos mortos no incêndio do CT do Flamengo â?? Foto: Arte/G1

Sobreviventes

O Clube de Regatas do Flamengo informou no começo da tarde desta segunda que o atleta Cauan Emanuel está de alta hospitalar e deve ir para casa no fim da tarde. Ele é um dos sobreviventes do incêndio no alojamento dos atletas da divisão de base do futebol do clube, no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio.

Ele está internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste. O colega de Cauan, Francisco Dyogo, apresenta melhora, mas continua com demandas ventilatórias de oxigênio e precisa de suporte com cateter nasal. Ele segue no Centro de Tratamento Intensivo da unidade.

O Flamengo destacou que a equipe médica do clube segue acompanhando a evolução dos quadros dos atletas.

Também nessa segunda, o boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde informou que o atleta Jhonatha Ventura apresentou melhora nas últimas horas. Ele havia sido internado no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Municipal Pedro II em estado grave, com queimaduras em um terço do corpo e lesões nos pulmões. Segundo o diretor Carlos Alberto Júnior, o jovem teve melhoras nos parâmetros respiratórios e nos ferimentos internos.

“A sedação foi suspensa, e ele não apresentou febre nas últimas 24 horas”, disse em nota.

Também foi feito banho das queimaduras profundas, que não mostrou piora das lesões, e novos curativos tópicos.

Ver comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.