Esporte

Fagner não se preocupa com críticas e celebra retorno à Seleção

O lateral direito Fagner foi o escolhido para falar com a imprensa na tarde desta segunda-feira, no CT Joaquim Grava, e fez questão de celebrar sua convocação para a Seleção Brasileira. Chamado pelo técnico Tite para os amistosos contra Rússia, no dia 23, e Alemanha, no dia 27, o defensor não deu muita bola para as críticas sobre o seu nome na lista, normalmente direcionadas a uma suposta agressividade no seu futebol, e comentou tranquilamente o tema.

“Como eu sempre disse, estava trabalhando, trabalho todos os dias, me dedico. Quem critica às vezes não conhece. Jesus não agradou todo mundo, o Fagner não vai agradar. Vou trabalhar da mesma forma, continuar me dedicando”, comentou o jogador, que ressaltou a felicidade dobrada já que a segunda-feira também marca o aniversário de três anos do pequeno Lucca, seu filho mais novo.

Indagado se via alguma justiça nas críticas que o apontam como um nome “maldoso”, o defensor usou números citados pelo próprio jornalista para se defender. Em cinco temporadas pelo Alvinegro, Fagner acumulou 55 cartões amarelos em 222 partidas oficiais disputadas pelo clube, além de três cartões vermelhos.

“A resposta está na sua pergunta, não adianta. A gente vive num mundo em que você é julgado pela atitude, se eu não me engano, todos os anos eu atingi mais de 50 jogos, duas ou três expulsões em 5 anos, menos de uma por ano. Era um dos que mais roubava bolas também”, relatou o jogador, tentando se blindar a respeito das polêmicas envolvendo seu nome.

“Infelizmente a gente sabe que tem pessoas que não gostam de você e vão começar a falar. O mais importante é o meu caráter, ele está intacto, o exemplo que eu passo para o meu filho. Quem quer ver o Fagner do jeito que é, pode ver. Para quem não gosta, não posso falar nada”, continuou Fagner, que havia ficado fora das duas últimas listas de Tite, mas marcara presença em todas as anteriores do comandante.

“Se eu não estava era porque eu deveria ter melhorado alguma coisa. Sempre falei isso. Me cuidei no começo da temporada, busquei estar bem, veio essa premiação aí. Você acaba abrindo mão das férias por um resultado maior. Esse resultado veio e eu fico feliz de poder estar retornando, poder estar bem fisicamente e isso é o mais importante”, observou o jogador, radiante com a possibilidade de jogar a Copa do Mundo.

“Todo sonho de criança é virar jogador e poder representar a sua seleção, num futebol tão competitivo quanto o brasileiro, marca a carreira de todo atleta. Espero que em maio eu possa realizar esse sonho também”, concluiu o atleta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Para comentar através do Facebook é preciso estar logado. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.