Crianças da pré-escola aprendem sobre combate ao Aedes aegypti em ação da Prefeitura

Orientar e envolver também as crianças em idade pré-escolar nas atividades de combate ao mosquito Aedes aegypti é o principal o objetivo das ações realizadas pela Prefeitura de São Luís, nas escolas municipais da capital. Nesta sexta-feira (13) foi a vez dos estudantes da Unidade de Educação Infantil Balão Mágico, no Vinhais, participarem das atividades com teatrinho de fantoche e palestras educativas sobre o tema. Apresentado por uma equipe de agentes de endemias, o tema foi abordado de forma lúdica e condizente com a faixa etária dos alunos, que têm entre 3 e 5 anos. A ação é executada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), por meio do Programa Municipal de Controle da Dengue e Arboviroses.

A atividade na Unidade de Educação Infantil Balão Mágico integra um conjunto de ações que estão sendo realizadas no Vinhais. Para intensificar o trabalho de combate ao mosquito na área, a Prefeitura de São Luís está realizando uma série de atividades integradas visando reforçar as ações de caráter preventivo, envolver os moradores e conscientizar sobre a importância da participação de todos nesse processo. A culminância da ação no Vinhais será realizada neste sábado (14), na Praça Letrado, onde será desenvolvida uma série de atividades voltadas ao tema. A ação se estenderá para outros bairros da capital.

“O combate efetivo à dengue não depende apenas da ação do poder público, por isso temos procurado envolver cada vez mais a comunidade com educação em saúde e, principalmente, provocando o envolvimento das pessoas para que adotem em suas rotinas hábitos que impeçam o mosquito de se reproduzir e transmitir as arboviroses”, disse o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

A agente de endemias Lucinete Pavão Palhano, uma das palestrantes da ação na escola Balão Mágico, destacou a importância de orientar desde muito cedo também as crianças da Educação Infantil. “As crianças são fundamentais na propagação das informações sobre o mosquito Aedes aegypti e as doenças por ele transmitidas. Por isso, é primordial a orientação repassada às crianças da pré-escola, para sensibilizá-los e estimulá-los a tomarem atitudes que venham refletir no comportamento de seus familiares no combate ao inseto, em suas casas. Envolver as crianças nesse processo é fundamental porque elas já crescem com essa mentalidade e tornam-se importantes agentes multiplicadores das informações que recebem na escola. Quando são bem orientadas, elas fiscalizam de verdade as práticas erradas que observam em casa”, disse Lucinete Pavão.

No teatrinho de fantoche apresentado às crianças, a equipe encena uma visita domiciliar feita por um agente de saúde a uma família que não cuida direito de seu quintal e que, por isso mesmo, todos os moradores da casa estão doentes. A dramatização visa orientar sobre a importância da prevenção, mantendo a casa e o quintal sempre livres dos criadouros do mosquito transmissor de doenças como a dengue, zika e chikungunya.

Orienta também sobre o descarte correto dos criadouros em potencial do mosquito, como pneus velhos, recipientes descartáveis, tampinhas, garrafas, tanques de água, entre outros. “Além disso, mostramos às crianças o quão importante é para a família permitir a entrada dos agentes de saúde em suas casas, para realizarem o trabalho de identificação dos focos e a eliminação das larvas do inseto”, frisou Lucinete Pavão.

A diretora geral da escola Balão Mágico, Cristiane Sousa, afirma que a unidade já realiza atividades pontuais em sala de aula e também junto aos pais dos alunos, com o propósito de orientar sobre a prevenção e o combate ao Aedes aegypti. “Estamos sempre desenvolvendo atividades de cunho educativo voltadas à prevenção do mosquito, nas quais utilizamos as ferramentas mais lúdicas possíveis para facilitar o entendimento de nossos alunos nessa faixa etária dos 3 a 5 anos. Também buscamos orientar seus pais, durantes as reuniões escolares, chamando a atenção para o descarte correto do lixo e uso dos Ecopontos disponibilizados na cidade”, observou a diretora.

A pequena Maynara Waleska, 5 anos, aprendeu sobre como se prevenir do inseto

Concentrada na encenação dos fantoches, a pequena Maynara Waleska, 5 anos, tinha respostas a todas as indagações dos palestrantes e afirmava que já sabia se prevenir do mosquito. “Devemos limpar bem nossa casa pra não deixar o mosquito crescer e picar a gente, porque senão ficamos doentes”, respondeu a menina quando perguntava sobre se sabia o que fazer para evitar as doenças provocadas pela picada do inseto.

Além das atividades educativas nas escolas, o trabalho realizado pela Prefeitura no Vinhais inclui ainda visitas domiciliares, distribuição de material informativo, vistorias em estabelecimentos e serviços de limpeza por todo o bairro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Para comentar através do Facebook é preciso estar logado. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.