Governo atende mais de seis mil pessoas durante Mutirão do Glaucoma

Mais de seis mil pessoas foram atendidas durante as atividades do Mutirão do Glaucoma, em janeiro. As ações, promovidas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), alcançaram moradores de 58 municípios distribuídos em sete regionais de saúde SES.

No interior do Maranhão, 37.70% dos pacientes atendidos foram diagnosticados com o glaucoma.
A ação facilita o acesso da população a exames, consultas oftalmológicas e medicamento para combate ao glaucoma. No primeiro mês do ano, o mutirão esteve nos municípios das regionais de saúde de Pinheiro, Açailândia, São João dos Patos, Zé Doca, Balsas, Pedreiras e Santa Inês. Ao todo, 6.509 atendimentos foram realizados durante as ações do Governo do Estado.

Para o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, os resultados das primeiras atividades do mutirão em 2018 foram positivos. “Em 2017, beneficiamos milhares de pessoas. Nossa proposta esse ano é ampliar esse alcance e intensificar as atividades do mutirão por todo o estado. Esse é um trabalho de prevenção e combate, importante para quem necessita, mas não tem condições de acesso ao tratamento adequado. Estamos satisfeitos com esse primeiro resultado e esperamos beneficiar muitos outros cidadãos maranhenses”, disse.

O mutirão permite a detecção precoce da doença, o que contribui para o tratamento mais rápido e adequado, evitando a perda da visão. Além disso, é possível realizar o diagnóstico de outras doenças como a catarata, que também é frequente no diagnóstico dos pacientes durante a realização das ações de combate ao glaucoma.

Dos 6.509 atendimentos realizados durante as ações do mutirão do glaucoma, foram diagnosticados 821 casos de pessoas com catarata, sendo que 56.88% sofriam com o problema nos dois olhos – o que resultou na realização de 1.288 cirurgias para a retirada da catarata.

Glaucoma

Considerada uma doença silenciosa e assintomática, o glaucoma causa danos ao nervo óptico, geralmente por causa do aumento da pressão intraocular. Por isso, durante o atendimento no mutirão, os pacientes passam por exames como a campimetria, a tonometria e a fundoscopia.

Os procedimentos servem para verificar falhas no campo de visão central e periférica do paciente, medir a pressão interna do globo ocular e avaliar as estruturas do fundo do olho. Com os resultados dos exames, os pacientes passam por avaliação médica, onde são orientados e encaminhados para tratamento adequado.

Qualquer pessoa com mais de 40 anos, e que sofre com pressão intraocular elevada, histórico familiar de glaucoma e portadoras de doenças como diabetes, hipertensão e hipertireoidismo precisa se submeter a exames de prevenção ao Glaucoma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Para comentar através do Facebook é preciso estar logado. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.