Caminhada pela Infância reúne 3 mil pessoas na comarca de Pinheiro

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

GERAL

O Poder Judiciário em Pinheiro integra as ações desenvolvidas na Semana da Infância pelo município e sociedade civil organizada. A juíza Tereza Cristina Nina, titular da 1ª vara da comarca, participou, na última segunda-feira (15), da ‘Caminhada pela Infância e Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes’, que reuniu cerca de 3 (três) mil pessoas pelas principais ruas da cidade.

A magistrada ressaltou a importância do evento como um espaço de sensibilização e conscientização da sociedade para o tema. “Não podemos deixar que crianças e adolescentes do nosso município sofram com tamanha violência, é preciso denunciar e combater tais crimes, disque 100, que o Judiciário aplicará as medidas de acordo com a lei”, informou ao público presente.

Como parte das atividades, a magistrada presidiu a 1ª Reunião Ampliada da Rede de Garantia de Direitos Infantojuvenis, com a presença de representantes do Ministério Público, Defensoria Pública, Delegacia da Mulher, Fundação da Criança e do Adolescente (FUNAC), e secretarias municipais de Saúde, Educação, e Assistência Social. Durante o encontro, foram discutidas as atribuições de cada Instituição na Rede de Proteção da Infância e Juventude, e a intensificação dos trabalhos em defesa das crianças e adolescentes.

Tereza Nina aproveitou o momento para apresentar o método de depoimento especial, e um relatório das atividades desenvolvidas em relação ao tema na Comarca de Pinheiro.

O juiz Rodrigo Nina, titular da vara única da comarca de Santa Luzia do Paruá, e membro da Turma Recursal de Pinheiro, também prestigiou o evento. Toda a equipe de servidores do fórum também se mobilizou na realização das atividades da Semana da Infância.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *
E-mail *
Site
Comentário *

Para comentar através do Facebook é preciso estar logado. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.